Header Ads

10 espetaculares curiosidades sobre os antigos romanos

Da fundação de Roma à expansão e queda do Império, a presença da civilização romana na história é tão poderosa, que podemos ver o reflexo de sua influência em muitos aspectos da vida contemporânea.

A seguir, leia algumas curiosidades interessantes sobre os antigos romanos; são fatos sobre a medicina, as leis, hábitos pessoais e coletivos dos nossos pais latinos.


1 - Os antigos romanos já sofriam com torcedores aruaceiros

coliseu

O anfiteatro que ainda pode ser visto em Pompeia está entre os edifícios da antiguidade romana que sobreviveram à passagem do tempo. Assim como seu “irmão” maior, o Coliseu de Roma, a arena foi projetada para acomodar de forma segura grandes multidões durante eventos esportivos de grande porte.

No entanto, segundo registros históricos, naquela época já existiam torcidas pra lá de briguentas, e em 59 d.C. ocorreu uma confusão tão grande entre a equipe local e os visitantes, que a punição estabelecida foi o banimento de eventos na arena de Pompeia durante vários anos.

2 - Os romanos bebiam o sangue dos gladiadores

Os antigos romanos tinham algumas práticas medicinais bem insanas; uma delas era a crença de que o sangue dos gladiadores podia curar a epilepsia.

Eles depositavam tanta fé nesse poder curativo, que quando um gladiador morria e seu corpo era retirado da arena, os vendedores ofereciam o sangue dele ainda quente para a multidão.

Por volta do ano 400, quando os combates de gladiadores foram proibidos, os romanos voltaram-se para o sangue dos criminosos executados.


Leia também: Os gladiadores mais temidos das arenas romanas


3 - Ser canhoto na Roma Antiga era um problema

Na Roma Antiga, os canhotos eram considerados azarados e não confiáveis. A palavra sinistro, que em nossa língua usamos geralmente em associação com algo negativo, na verdade vem do latim e seu significado original era "a esquerda".

Com o tempo, a superstição associada às pessoas canhotas, transformou a palavra no termo ideal para definir coisas indesejadas.

Gladiadores canhotos, entretanto, eram considerados especiais. A vantagem deles é que eram treinados para lutar com destros, mas seus adversários não estavam acostumados a serem abordados por lutadores sinistros, ficando mais vulneráveis a um ataque da mão esquerda.

Quando o combate envolvia um gladiador canhoto, essa característica era realçada nos anúncios da luta.

4 - Na Roma Antiga a urina era valiosa

Pecunia non olet significa "dinheiro não tem cheiro". Esta frase foi cunhada como resultado do imposto sobre a urina cobrado pelos imperadores romanos Nero e Vespasiano.

As classes mais baixas da sociedade romana urinavam em potes que eram esvaziados em fossas públicas.

A urina era recolhida e servia como valiosa matéria-prima para uma série de processos químicos: era usada no curtimento do couro, como fonte de amoníaco para limpar e branquear lã, e, segundo relatos isolados, a urina pode ter sido utilizada até mesmo como um clareador de dentes.

Quando o filho de Vespasiano, Tito, queixou-se sobre a natureza repugnante do imposto, seu pai mostrou-lhe uma moeda de ouro e proferiu a famosa frase. Esta sentença é usada ainda hoje para mostrar que o valor do dinheiro não está contaminado por suas origens.


5 - Os romanos apreciavam a boa higiene

caldarium

Os antigos romanos apreciavam os bons hábitos de higiene (apesar de beberem sangue de gladiadores e clarearem os dentes com urina). Eles se banhavam regularmente em banhos públicos. Em Roma, existia duas fontes principais de água: água de alta qualidade para beber e de qualidade inferior para o banho.

No ano 600 antes de Cristo, o rei Tarquínio Prisco decidiu construir um sistema de esgoto sob a cidade. O sistema que escoava para o rio Tibre, se mostrou tão eficaz que permanece em uso até hoje ( logicamente, agora está conectado à moderna rede de esgotos). O sucesso, de fato foi tão grande, que logo foi imitado em todo o Império Romano.


6 - Em Roma havia profissões bem peculiares

Em Roma havia muitas profissões extravagantes, o planejador de orgias era uma delas. Esse interessante profissional se encarregava de organizar as festas para os ricaços da cidade. Ele providenciava a comida, a bebida, os músicos, a hospedagem para os convidados; e, é claro, ele contratava prostitutas para a festinha.

A desvantagem do trabalho é que a profissão não era muito bem vista por alguns membros da sociedade, especialmente por aqueles que nunca foram convidados para as orgias.


7 - Era melhor pensar duas vezes antes de pular a cerca

Para restaurar as bases morais do matrimônio e coibir comportamentos escandalosos, o imperador Augusto promulgou no ano 17 antes de Cristo a Lex Iulia de Adulteriis Coercendis.

Nesta lei, se o marido flagrasse a mulher com outro homem, ele podia matar o amante da esposa e estava obrigado a divorciar-se dela, caso contrário, ele seria acusado de lenocinum, ou seja: consentimento ao adultério cometido pela mulher.

Ademais, o marido traído podia reter o amante da esposa por 20 horas, para que ele testemunhasse o fato vergonhoso. Nessa longa espera, era costume sodomizar o pobre coitado usando um rábano ou um escravo núbio (por razões que você deve imaginar), ou pelo próprio marido enganado. Conclusão: era preciso pensar duas vezes antes de pular a cerca.

8 - Na Roma Antiga as padarias também eram usadas como motéis

Por mais estranho que possa parecer, havia uma íntima colaboração entre os padeiros e as prostitutas na Roma Antiga. Os padeiros eram fornecedores das Aelicariae, prostitutas que trabalhavam no pátio dos templos e que, além dos favores sexuais, vendiam pequenos bolos feitos na forma da genitália masculina ou feminina.

A maioria dos padeiros também alugava quartos em seus porões para as meretrizes, mas, uma vez que estas instalações eram frequentemente invadidas por fiscais à procura de prostitutas não licenciadas, quem frequentava esses lugares tinha que entrar e sair o mais rápido possível.


9 - Os antigos romanos usavam roupas íntimas

romanos

Não pense que os romanos ficam nus sob as togas. Tanto homens como mulheres usavam uma peça de roupa chamada subligaculum que era usada como “tapa-sexo”. Esse adereço normalmente era feito de lã ou linho, embora também existissem versões mais requintadas feitas de seda.

As mulheres às vezes usavam também uma espécie de top sem alças chamado mamillare ou strophium, e as mais jovens ainda tinham o costume de "prender" os seios firmemente com faixas de couro macio.


10 - Os antigos romanos amavam o vinho

O vinho era um produto que simplesmente não podia faltar na mesa de nenhum romano, ele era tão crucial na rotina da Roma Antiga que até os escravos tinham direito a uma porção diária da bebida.

Pompeia era um dos principais centros fornecedores de vinho para o Império; quando o Monte Vesúvio entrou em erupção, soterrando a cidade e destruindo os estoques, o efeito foi devastador.

O pânico pela falta da bebida fez com que os fazendeiros romanos começassem a substituir as plantações de grãos por videiras, resultando, consequentemente, na falta de comida. Além disso, com a superprodução das novas vinícolas, a economia romana se tornou ainda mais instável, levando o Imperador Domiciano a proibir a abertura de outros vinhedos.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.